Skip links

Tudo o que você precisa saber sobre a dupla certificação e o High School

Em 2018, o Centro Educacional da Lagoa virou CEL International School e passou a oferecer diploma americano; tire suas dúvidas.

Conquistar um diploma válido de High School americano sem sair do Brasil. Desde o começo de 2018, o Centro Educacional da Lagoa virou CEL International School e passou a oferecer essa vantagem aos alunos. A escola incluiu em seu programa um sistema de High School à distância certificado nos Estados Unidos. Ele permite que o aluno do Ensino Médio estude matérias complementares para obter um diploma norte-americano, além do brasileiro. O 9º ano já começou a aproveitar a experiência, que tem sido um sucesso, porém, pais e futuros alunos ainda podem ter dúvidas sobre como funciona a dupla certificação.

Separamos, abaixo, alguns tópicos com tudo o que você precisa saber sobre o High School do CEL. Confira e tire todas as suas dúvidas.

Dupla certificação

Antes da implementação do sistema de High School, o currículo do CEL foi cuidadosamente analisado por uma instituição especializada. O intuito era saber se o programa oferecido pela escola era compatível com o nível de qualidade exigida pelo sistema americano e quais adaptações deveriam ser feitas.

Com os resultados em mãos, o CEL adicionou na grade de matérias algumas disciplinas extras para as séries a partir do 9º ano. Os nossos alunos passaram a cursar matérias adicionais, além daquelas exigidas no Ensino Médio brasileiro. Entre os temas estão Economia, História dos Estados Unidos e Governo dos Estados Unidos.

Essas matérias são lecionadas em Inglês e não têm nenhum custo adicional na mensalidade. Quem completar todo o ciclo, recebe um diploma de High School válido nos Estados Unidos, além do Histórico Escolar traduzido.

“Essas disciplinas acabam funcionando como um complemento daquilo que já vínhamos trabalhando com os alunos”, explica Marcelo Pessanha, coordenador de Língua Inglesa e High School no CEL. “No Ensino Fundamental I, temos aula de Matemática Financeira, por exemplo, mas na aula de Economia do High School, essa abordagem é intensificada e eles têm exercícios mais práticos, como investir em bolsas de valores”.

Flexibilidade para os estudos

O aluno do CEL que fizer o High School não precisa completar nenhum período letivo nos Estados Unidos, o que não significa, porém, que não haja imersão internacional durante o processo. Isso porque a instituição firmou parceria com um sistema de High School online, certificado nos Estados Unidos, e que oferece as disciplinas complementares por meio de duas plataformas eletrônicas acessadas pelo computador.

As aulas do curso de High School são ministradas por professores americanos e os estudantes podem interagir ao vivo, tirando dúvidas com o instrutor e discutindo o conteúdo com jovens de diversos países. Dessa forma, o aluno consegue montar a própria carga horária com mais flexibilidade e utilizar o tempo livre para completar os estudos.

“Eu gosto de fazer minhas aulas do High School no sábado para conciliar melhor com a carga horária do CEL”, conta Mariana Martins, estudante do 9º ano da unidade Maria Angélica, no Jardim Botânico. Para ela, os cursos extras não atrapalham na rotina escolar diária e acabam ajudando em algumas disciplinas. “Minha redação, por exemplo, melhorou muito nas aulas de Inglês”, garante.

Reforço no Inglês

O esforço do CEL é para garantir a fluência no idioma até o 9º ano. Mas, quem entrou na escola no meio do caminho e não recebeu a base de Inglês adequada também pode aproveitar o High School.

Ao alcançar o último ano letivo do Ensino Fundamental, os estudantes são submetidos a um exame de nivelamento. Os que forem aprovados poderão seguir direto para a disciplina de Economia do High School, ainda no 9º ano. Os que não demonstrarem proficiência suficiente, serão encaminhados para aulas de reforço em Inglês, já visando a preparação para o High School.

Esse foi o caso do Alexandre Valois, também aluno da Maria Angélica. O jovem de 13 anos não estudava no CEL antes do 9º ano e precisou realizar o curso de Inglês preparatório antes de poder seguir para as aulas de Economia. “Nas aulas de High School, os professores dão todo o apoio e você acaba aprendendo mais do que num curso de Inglês. É claro que é preciso um esforço do aluno, mas mesmo se você não tem a base, eles te dão toda a ajuda”, conta.

Aconselhamento para estudo no exterior

Quem estuda com o sistema de High School conta com a ajuda de dois profissionais para melhorar a sua experiência. O Guidance Counselor é uma pessoa responsável por aconselhar os estudantes que desejam estudar em uma universidade americana. Ele acompanha o processo de aplicação para uma graduação no exterior e dá dicas para deixar a candidatura mais competitiva.

O Learning Coach, por sua vez, está nas unidades toda semana e acompanha o desempenho acadêmico dos alunos, além de tirar dúvidas sobre a plataforma.

“No segundo ano do Ensino Médio é feita uma análise de perfil dos alunos, levando em consideração onde ele deseja fazer o Ensino Superior, qual carreira deseja seguir, além de fatores socioeconômicos. Isso ajuda a aconselhar sobre as universidades ideais para ele, os exames que precisa realizar, ou até mesmo como conseguir uma bolsa”, explica Marcelo Pessanha.

Quer ver na prática como funciona o High School? Ligue para o CEL Atende e agende uma visita. Tel: (21) 2266-3660

 

 

Participar da conversa

Portal Acadêmico

Para acessar o Portal Acadêmico insira seu usuário e senha.

Dúvidas? Envie um e-mail para: [email protected]

You have Successfully Subscribed!