Skip links

5 dicas que podem ajudar seu filho comer melhor

Nutricionista do CEL explica algumas alternativas para inserir a alimentação saudável na vida da criança.

Manter uma alimentação saudável nos primeiros anos é indispensável para o desenvolvimento. Com os pais enfrentando uma vida cada vez mais corrida, a comida pronta e industrializada acaba virando uma armadilha difícil de resistir. Oferecer uma dieta rica em todos os nutrientes é fundamental para que o hábito de comer bem seja levado adiante.

Com a ajuda da nutricionista do CEL International School Carolina Liberato, preparamos cinco dicas para ajudar a família nesta tarefa. Saiba como tornar a alimentação saudável uma rotina e encorajar as crianças crescerem comendo de tudo sem maiores problemas.

  1.  Exemplo precisa vir de casa

    Não adianta forçar a criança comer legumes e verduras se dentro de casa não há esse costume. Assim como em todos os aspectos da vida, na alimentação os pais também são os maiores exemplos  É importante que, desde pequenos, meninos e meninas vejam em casa uma rotina de refeições saudáveis.

    “A criança é produto do meio”, explica a nutricionista Carolina Liberato. “É muito difícil fazer com que ela seja aberta a experimentar mais alimentos saudáveis, se na família o que impera é o contrário.

    Por isso, a principal maneira de fazer com que as crianças comam melhor é elas verem que, em casa, o consumo da família também passa por frutas, legumes e verduras e não apenas por comidas industrializadas e doces.

  2.  Apresente os alimentos

    Além de dar o exemplo em casa, uma das melhores alternativas para fazer com que os pequenos comecem a tomar gosto pela alimentação saudável é eles conhecerem melhor o que estão comendo.  

    Uma ida à feira nos finais de semana é um dos exercícios que podem ajudar. Apresente os diferentes tipos de legumes, frutas e verduras. Converse sobre a origem dos alimentos, de onde eles vêm e como são plantados. Esse tipo de atividade, além de fortalecer o vínculo familiar, ajuda as crianças a terem um contato mais afetivo com a comida.

    “Já vi uma menina espantada ao saber que a melancia é redonda”, lembra a nutricionista. “Quando as crianças conhecem melhor os alimentos, elas tendem ser mais receptivas”. explica.

  3.  Prepare lanchinhos rápidos e saudáveis

    O que o seu filho procura quando está com fome? Se as primeiras escolhas são biscoitos recheados e guloseimas, é muito provável que estas sejam as alternativas mais fáceis e sempre à mão. Se você quer que ele coma melhor não há outro jeito. A geladeira e a despensa devem estar repletas, sempre que possível, de alimentos saudáveis.

    Uma dica legal é preparar pequenas porções de legumes e frutas e  armazená-las em potes na geladeira. Um bom exemplo é a cenoura em bastão: nutritiva, gostosa e muito fácil de fazer.

    “Frutas desidratadas ou secas são deliciosas”, comenta a nutricionista Carolina Liberato. Snacks de aipo ou até de chuchu cru são ótimos quando servidos com um molhinho a base de iogurte”.

    E, claro, as frutas in natura podem se tornar as verdadeiras estrelas.

    “Ter uma fruteira ao alcance da criança com frutas bem coloridas é excelente para despertar o interesse”, sugere.

  4. Tenha criatividade

    As crianças aprendem melhor de uma maneira lúdica porque é a forma como elas enxergam o mundo. Levar isso para alimentação pode até dar um pouco de trabalho no início, mas o resultado é promissor.

    A ideia não é transformar a hora da comida em bricadeira, mas em um momento mais descontraído. Fazer uma releitura na forma como os alimentos estão dispostos no prato pode virar um estímulo para experimentar. É muito comum que a criança fique mais receptiva a comer alguma coisa que ela anteriormente disse não gostar, apenas pelo ingrediente estar diferente.

    Aqui vale a criatividade. Seu filho não gostou de brócolis na primeira tentativa? Tente fazer uma apresentação em novo formato: picadinho, como se fosse o cabelo de um personagem, por exemplo.  O mesmo para as formas de cozimento. Ele não é muito fã de batata doce? Tente fazer chips assadas no forno.

  5. Conte com a ajuda da escola

    A escola deve ser mais uma aliada na busca pela alimentação saudável. É muito importante que a instituição de ensino e os pais falem a mesma língua.

    O CEL International School oferece refeições para a creche e também para os alunos da Educação Infantil nos Horários Integral e Americano. O cardápio é montado pela nutricionista, de acordo com qualquer tipo de restrição.

    Quando a criança é matriculada, a nutricionista faz uma entrevista com os pais para saber se há alguma intolerância alimentar. A conversa também serve para identificar o estágio da alimentação, se a criança já come refeições sólidas ou ainda está na dieta pastosa. A profissional visita toda semana as unidades para fazer o acompanhamento.

    Em paralelo, o CEL também desenvolve diversas atividades para promover uma melhor alimentação. Uma vez por mês, alunos da Educação Infantil têm aula de culinária. Eles colocam a mão na massa e aprendem mais sobre os alimentos com receitas saudáveis.

    As unidades Lopes Quintas e Barra já contam com uma horta, onde os alunos plantam e podem acompanhar o crescimento de algumas hortaliças e legumes. A unidade Norte Shopping também vai ganhar em breve.

    Já as cantinas contam apenas com salgados assados, sucos e refrigerantes orgânicos.

    Quer entender melhor como funciona a alimentação e o trabalho da nutricionista do CEL? Agende uma visita. Ligue para (21) 2266-3660.

Participar da conversa

Portal Acadêmico

Para acessar o Portal Acadêmico insira seu usuário e senha.

Dúvidas? Envie um e-mail para: [email protected]

You have Successfully Subscribed!